Éramos duas crianças brincando de conversar  

Posted by Jean Leal





Ainda lembro muito bem da primeira vez que vi você.
Os olhos tão inocentes, o sorriso tímido e radiante; Era tudo tão novo para mim, tudo tão bom.
Quando pude então falar com você foi como se tudo o que eu sabia tivesse me escapado.
Éramos duas crianças brincando de conversar.
Você não fazia esforço algum para ter minha atenção. Tudo em você me de algum jeito.
As coisas que eu sentia talvez não fossem para nós dois. Quem sabe ter guardado para mim tudo aquilo renderia uma história muito melhor, mas eu escolhi (ainda que sem saber) errar.
Então eu esperei por você... dia após dia...
Esperei por você como se minha vida dependesse disso.
Esperei contando os dias, sorrindo sem vontade por estar longe de você.
Esperei pelo seu abraço novamente, por seu sorriso e carinho que tanto me eram bom.
Você foi uma lembrança boa e dolorida de se ter.
E de tanto esperar você chegou. Foi mesmo difícil de acreditar que ali era você. Não pude deixar de notar que você cresceu, amadureceu, mudou ; Mas quando percebi, era o mesmo sorriso, o mesmo abraço, o mesmo olhar, a mesma capacidade de me prender.
Quem sabe ainda tenha em mim aquele sentimento, mas quero que ele seja segredo até mesmo para mim.
Prefiro ter você sorrindo feliz, assim como eu faço quando te vejo.

Jean Leal

Pela Janela  

Posted by Jean Leal








Debruçada na janela estava a pessoa que eu nunca conheci como deveria conhecer.Lá fora, o cinza da cidade estava hoje estranhamente acentuado.Lá embaixo passavam pessoas cegas, andando sem rumo, sem tempo, sem vida, perdidas em meio a um sistema de rotinas vãs.
Era estranho e difícil não admira-la.Seus cabelos tão negros caiam como um véu sobre seu rosto, escondendo as emoções que eu mais precisava saber.Fumava tão tranquilamente, de um jeito quase poético, feito uma artista de cinema.Sua nudez era superficial.Ninguém jamais viu o que se escondia por trás de olhares, sorrisos e gracejos.
Pela janela ela via como a vida pode ser bela, se você souber esconder o que sente.Um belo destrutivo, mal e instigador.
Hoje, já sem ela, não sei ao certo o que vejo, no cinza da cidade, que entra pela janela.

Jean Leal

27.09  

Posted by Jean Leal






Vamos ver um filme, ter dois filhos

Ir ao parque

Discutir caetano


Planejar bobagens

E morrer de rir





Letra : Cícero
Foto e arte : Keyla Sobral

Remembrance  

Posted by Jean Leal












Lembro muito bem do quanto éramos nós dois, antes de passares a ser quem és.Ainda vejo em meu rosto os rastros dos sorrisos que você deixou aqui.
Eu tinha mania de fechar os olhos e sentir você, ainda que longe, ainda que distante dos meus braços, porém mesmo na solidão de minha cama o teu abraço me alcançava e, assim , voltávamos a ser quem éramos.
Aconteceu que você acordou deste sonho.
O mundo de paz que fizemos foi deslizando para o impossível e se mostrou cruel.A dor de levar o nosso mundo em minha costa já se fazia enorme.
Seria bem mais simples você ir embora e com um sussurro me explicar tudo o que você sentia;Mas você preferiu me lançar ao chão e me transformar em tudo o que você não desejava.
Hoje estou cansado de tudo, cansado do mundo.Quem sabe um bom café levaria você dos meus pensamentos.Um bom sono talvez fizesse você sumir de mim.
Do amor que eras em mim, hoje se tornaste saudade;Saudade daquelas mais doloridas de se sentir.


Jean Leal

Paixão  

Posted by Jean Leal

- Para ser lido com este som - http://youtu.be/i-4YKcg2ePE


Tenho por ti uma paixão
guardada em meu olhar
desenhada em meus versos
perdida no ar

Gosto de senti-la em minha solidão
Toca-la em meu silencio
Beija-la em meu sonhar

Sim, eu tenho por ti
uma doce paixão
talvez inocente
quem sabe indecente
disto eu não posso saber

O que tenho em mim
fora deixado por você
Em algum lugar da história
que eu não lembro

Não, eu não posso mentir
É você quem desenha meu sorriso
Que guarda consigo a minha paz

Tenho você comigo
Assim como a terra leva consigo
o ar

Quando te tenho comigo
tenho, talvez
a quem amar

O que posso dizer-te
em tom de total certeza
É que tenho por ti uma paixão
destas feitas com 
amor, 
carinho
tristeza

Jean Leal

Doce Carnaval  

Posted by Jean Leal


Deixa o silencio dançar
deixa que ele sozinho vive
Deixa o amor sonhar
que à ilusao ele resiste


E que o teatro feche as cortinas
Que se feche as portas
do nosso coração
e que páre a bailarina na ponta
do medo, da vida
do amor, da solidão


E que seja somente um
o sentimento da paz
Que poetas nao vivam mais
carregando consigo
o triste peso de saber amar


Deixa que a vida
sempre encontra a morte
parada na esquina
de uma quarta-feira
de um doce carnaval


Jean Leal

Sobre o chão da casa vazia  

Posted by Jean Leal



Quando voce se vai
sempre esquece de levar
a saudade, o teu olhar e sorriso
que ficam neste lugar

Sobre o chão da casa vazia
teus passos eu refaço
Ouço teus sussuros na parede
teus beijos guardo em mim

Teu silencio fica incognito
rodeando meus pensamentos
Teu verso adormece
tristemente, na solidão

Quando voce voltar
traz contigo um novo dia
Coloca em mim a poesia
que nunca se perdeu

Jean Leal

A Minha Atriz  

Posted by Jean Leal

Certa vez uma moça
dos olhos da cor do céu
Me disse que não tinha problema
se eu interpretasse um papel

Eu malandro e galanteador
ela inocente e cheia de amor
Ela a fã, eu o compositor

Fui então nessa conversa
pensei ser um grande ator
Quando me vi estava só nessa
A moça já tinha um novo amor

O que eu não sabia
é que a moça comigo fazia
o papel da inocente menina
dos olhos da cor do céu


Jean Leal 

Tem pra você  

Posted by Jean Leal

Tem pra você aqui
o meu melhor beijo
o meu doce carinho
o meu maior desejo

Tem pra você aqui
a noite enluarada
a doce madrugada
um dia pronto pra nascer

Se você quiser
é só vir buscar
esse doce sorriso
que nasceu por te amar

Por isso, morena
venha logo, venha agora
que o relógio não tem mais hora
para te esperar


Jean Leal


Pra você, bonita  

Posted by Jean Leal


Fiz pra você, bonita
a noite e o luar
o sol e o mar
música e poesia

Fiz pra você, bonita
o ser e o não ser
o ter e o não ter
o amar e o querer

Fiz também
o sabor da saudade
a felicidade e a paz

E deste a mim
esse brilho no olhar
e o descansar em teus braços

Me deste a certeza
do amor que me dás
muito além de uma paz
me deste você


Jean Leal

Urbana  

Posted by Jean Leal

Seus olhos refletem
a cor que o sol quer dar
Sua boca diz o que a cidade quer
Já não crê mais em fadas
Ainda não aprendeu
quem é Julieta ou Romeu

Me expliquem o que aconteceu
com a menina quieta
Ser quieto é pra gente estranha
O seu destino não é difícil de saber
Ela conhece a vida profana
Seu destino é morrer assim
nua, crua, urbana

Sua melhor música são buzinas
seu melhor amigo é o cigarro
seu maior deus é o diabo
seu namorado agora está no céu

Coisa pouca ela não gosta
é porra louca e descomposta
Atrás daquelas lentes eu sou seu
E quando o sol esquece da gente
ela chama o mundo de meu

Seu destino é morrer assim
nua, crua, urbana.


Jean Leal

Antes de ter você  

Posted by Jean Leal


Antes de ter você
canções não entendia,
ignorava poesia,
sequer sabia meu nome

Antes de ter você
saudade eu não sentia,
apego eu não queria,
não sabia de mim

Então você chegou
com seu jeito de menina
e logo me mostrou
o bom amor
que hoje me alucina

Me fez acreditar
que quando se sabe amar
A vida te ensina a sorrir
e mostrou também
que o amor que há em mim
é seu e de mais ninguém

Jean Leal

Fantasia  

Posted by Jean Leal

Enquanto estou por aí
parando o mundo
em preto e branco
Você esconde seu pranto
em qualquer ilusão

Enquanto estou por aí
eternizando momentos
Você lança no esquecimento
o amor que passou

Jogados à mercê
da nossa cidade
Você passa sem vontade
pela minha lente
e leva meu coração

Você finge não me olhar
Atrasa seu andar
Se torna o foco da minha canção

Meu Deus, eu não sabia
que a mais bonita fotografia
eu nunca viria
se você não chegasse
e levasse meu coração
em sua fantasia

Jean Leal

Para o Mundo  

Posted by Jean Leal

Eu vejo pela rua
a fé em procissão
e o milagre de um menino
sair na contramao

Eu vejo pela rua
pessoas querendo sonhar
que a vida pode ser melhor
quando ela se acabar

E a santa, tão santa
acalanta calada
a multidão

Eu olho para a vida
e vejo ela me espantar
em meio a multidao de pessoas
nenhum sabe o porque estar

Eu olho para o mundo
sem querer olhar
eu morro nesse mar
de gente que se faz desacreditar

E a santa, tão santa
nunca sabe dizer
sim ou não


Jean Leal

E-book "Relatos da Vida"  

Posted by Jean Leal

Sempre gostei do nome 'Relatos da Vida' e por isso batizei assim o meu blog.Depois de um tempo notei que minha poesia se encaixava mais ou menos neste contexto de 'relatar a vida', mas não somente a minha vida.
Reuní neste pequeno e-book 17 poemas que achei interessante de se publicar.Alguns já vistos aqui pelo blog, outros nunca publicados ou mostrados antes.
Lembro da história de cada um deles, são como filhos meus."Urbana" surgiu de uma insônia, de uma noite dessas em que desaprendi a dormir."Nos muros da Cidade" é fruto de uma das tantas caminhadas que costumava dar pela cidade, assim, sem rumo."O Bailar da Bailarina" é resultado dos tantos poemas que fiz sobre essa tal bailarina.
Enfim, tudo acaba se ligando a mim.Sou um poeta que não sabe mentir e sim se disfarçar.

O E-book está disponível gratuitamente para download no 4shared!É só baixar!
Se gostarem, voltem pro blog e deixe seu comentário!Será de grande importancia!
O proximo e-book será lançado daqui a 1 mês.Aguardem!


Enjoy ! (: